AfrikaansArabicChinese (Traditional)DutchEnglishFrenchGermanHebrewHindiItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanishTurkish

O Espiritismo Kardecista

O espiritismo kardecista

Queria fazer uma síntese do que é na verdade é o Espiritismo Kardecista, sobre seu aspecto doutrinário e metódico, pois muitas vertentes e até pessoas de outros cultos como a Umbanda e Candomblé, se afirmam espíritas e nisso confundi a visão de muitos que estão de fora. Levando em conta o respeito doutrinário de cada religião, fica aqui a explanação de duas matérias que explica essas colocações.

Quem ainda não ouviu essa pergunta, possivelmente ouvirá e, se refletir um pouco, poderá se perguntar: há falta de informação sobre o que é Espiritismo? Ou há mais que um Espiritismo?

O termo kardecista parece ter se originado nos períodos de intranquilidade política em nosso país quando era necessário obter autorização para realizar reuniões de cunho religioso e as normas oficiais previam autorização desde que fossem classificadas como católicas ou espíritas. Com isso, para poder se reunir, os adeptos de muitos cultos espiritualistas passaram a se auto-intitular espíritas. As diferenças entre as práticas religiosas levaram os espíritas a adotar o termo kardecista como meio de sinalizar que o Espiritismo original era baseado no estudo, interpretação e prática dos princípios organizados por Allan Kardec com base nos ensinamentos dos espíritos.

Vida espírita

Há na internet referências sobre um estudo que detectou o registro de um elevado número de centros espíritas nas décadas de 40 e 50 e uma inexplicável queda nas décadas seguintes. A redução do número de centros espíritas parece indicar que os participantes de outras práticas espiritualistas se emanciparam, mas o hábito da população de chamá-los de espíritas permaneceu.

O último censo do IBGE indica que o número de pessoas que se declaram espíritas mais que dobrou entre o censo de 1980 e 2000 saindo de 0,7% para 1,4% da população, chegando atualmente à quase 3 milhões de brasileiros. Será que os espíritas estão perdendo o receio de esconder sua crença?

À medida que cada vez mais pessoas estão estudando e compreendendo os conteúdos apresentados pelos espíritos e organizados por Kardec, o termo kardecismo tende a cair em desuso, pois fica claro que não há mais que um Espiritismo e, com isso, outras respeitáveis manifestações espiritualistas deixam de ser confundidas com ele.

O espírito Antonio Grimm, através do médium Maury Rodrigues da Cruz nos lembra de que ninguém tem o monopólio do conhecimento, do saber, da virtude e da verdade.

As religiões, sendo fruto da construção humana, seriam comparáveis a mapas que apresentam versões diferentes sobre o mesmo caminho, e mesmo que usemos mapas mais precisos, ainda dependeremos da interpretação e da prática que cada um de nós possa fazer. A matéria de capa desta edição procura desdobrar o assunto e responder a uma crítica pergunta: – O que é ser espírita?

Texto: Revista SER Espírita

Kardec Codificador

Allan kardec – O codificador da doutrina dos espíritos.

– Resumidamente, a doutrina espírita é definida como uma religião, ciência e filosofia que se destina a interpretar corretamente os ensinamentos de Cristo e as verdades universais, embasadas na lei de “causa e efeito“, na imortalidade da alma, na justiça divina na Fé e na razão.

A sua base doutrinária é o Livro dos Espíritos(1857), primeira das chamadas obras básicas, escritas por Allan Kardec. Nesse livro, consta o resultado preliminar dos diálogos estabelecidos por ele em diversas reuniões médiunicas com espíritos desencarnados.

A obra é dividida em 1018 tópicos no estilo pergunta–resposta, ordenados didaticamente pelo pedagogo. As questões levantadas em O Livro dos Espíritos serviram como base para os demais livros que compõem a Codificação Espírita.

São eles:

O livro O QUE É O ESPIRITISMO?, publicado em 1859, é uma introdução didática sobre a doutrina espírita.

O LIVRO DOS MÉDIUNS, ou “Guia dos Médiuns e dos Evocadores”, foi publicado em 1861 e versa sobre o caráter experimental e investigativo do espiritismo, visto como ferramenta teórico-metodológica para se compreender uma “nova ordem de fenômenos”, até então jamais considerada pelo conhecimento científico: os fenômenos ditos espíritas ou mediúnicos, que teriam como causa a intervenção de espíritos na realidade física.

O livro O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO, publicado em 1864, avalia os evangelhos canônicos sob a óptica da doutrina espírita, tratando com atenção especial a aplicação dos princípios da moral cristã e de questões de ordem religiosa como a prática da adoração, da prece e da caridade.

O livro O CÉU E O INFERNO, ou “A Justiça Divina segundo o Espiritismo”, foi publicado em 1865 e compõe-se de duas partes: na primeira, Kardec realiza um exame crítico da doutrina católica sobre a transcendência, procurando apontar contradições filosóficas e incoerências com o conhecimento científico superáveis, segundo ele, mediante o paradigma espírita da fé raciocinada. Na segunda, constam dezenas de diálogos que teriam sido estabelecidos entre Kardec e diversos espíritos, nos quais estes narram as impressões que trazem do além-túmulo.

O livro A GÊNESE, ou “Milagres e as Predições segundo o Espiritismo”, foi publicado em 1868 e aborda diversas questões de ordem filosófica e científica, como a criação do universo, a formação dos mundos, o surgimento do espírito, segundo o paradigma espírita de compreensão da realidade.

Fonte: wikipédia



Postagens Relacionadas:

O Carnaval segundo o ponto de vista Espírita de Jorge Henssen

O Astro Intruso segundo o espírito Ramatís

Regresso de Espíritos aos seus Planetas de Origens

Retrato Falado da Mãe de Jesus

Leave a reply