AfrikaansArabicChinese (Traditional)DutchEnglishFrenchGermanHebrewHindiItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanishTurkish

Salvação pelo Batismo, Fé ou Obras ?

Salvação graca batismo

Após a vinda do Cristo salvador a 2 mil anos atrás, as pessoas em maioria por diversas comunidades cristãos ainda se equivocam diante da questão da salvação, que muitos acreditam que por um simples ritual (batismo).

Milhares de cristãos atraído por promessas fáceis de suas salvações, sem o mínimo esforço voluntário na obras e por seus aperfeiçoamentos morais, caem diante da armadilha de muitos falsos profeta que vendem essas ascensões em diversos templos luxuosos. Transformando a dádiva da graça, em um pedágio administrado somente por tais indivíduos que enriquecem as custas da ignorância de muitos.

A Salvação na Graça por Cristo

Somente para se concluir a verdadeira intenção da fé na graça, e em sua pura doutrina, batamos entender o que Jesus falou sobre seu percursor João Batista na pessoa de Elias.

Batismo de João Batista para arrependimento

“E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas;” (Mateus 17:11)

– A “Lei”síntese do judaísmo se baseava-se em leis humanas (Moisés) e as divinas (Dez mandamentos), este último resumido em dois e deixado em toda a essência na graça sem os apetrechos humanos.

Restaurar significava; resgatar o sentido da verdadeira religião á Deus, não mais só pelas devoções, más para as obras do amor; “pois tudo que se faz para o próximo é para Deus que se faz” e assim João Batista falou:

“E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo.” (Lucas 3:9)

“E, respondendo ele, disse-lhes: Quem tiver duas túnicas, reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos, faça da mesma maneira.” (Lucas 3:11)

– Assim a caridades aos semelhantes manifetadadas de diversas formas pelo respeito, justiça e a honestidades (Lucas 3:13), se torna o sinônimo destas obras para a salvação no Evangelho.

O Batismo de João e do Espírito

Batismo com fogo do Espirito Santo

O Batismo na imersão em água nada mais é que um ritual (obras da lei) ao qual inicia-se o ser na vida cristã, em símbolo da em Cristo (Atos 19:4), e isso fez com que muitos interpretassem sendo o mesmo do batismo em fogo(Espírito Santo).

“Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo de arrependimento..”(Atos 19:4).

– Mesmo sendo o “batismo de João“ é o mais importante ao qual Paulo refere no termo; “um só batismo” (Efésios 4:5), o mesmo ao qual todos deveriam serem batizados segundo afirmou Jesus (Marcos 10:39), pois o do Espírito nada mais era para o recebimento dos dons espirituais. Pois o que importa ao ser na verdade é sua melhora como humano e não por seus dons espirituais. Pois as obras são independentes delas.

Lembremos do que falei lá em cima: “resgatar”, ou melhor; dá o sentido da verdadeira á religião de Deus, como é descrito nesta passagem do velho testamento:

“Com que me apresentarei ao Senhor, e me inclinarei diante do Deus altíssimo? Apresentar-me-ei diante dele com holocaustos, com bezerros de um ano?
Agradar-se-á o Senhor de milhares de carneiros, ou de dez mil ribeiros de azeite? Darei o meu primogênito pela minha transgressão, o fruto do meu ventre pelo pecado da minha alma? Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?” (Miquéias 6:6-8
)

– Assim como é descrito nesta passagem acima, entendemos a verdadeira intenção divina para com os homens, na verdade, que era em seus  aperfeiçoamentos morais e não nos rituais ou oferendas materiais que o povo por devotamento ofereciam diante do altar. Por isso Paulo confirma no futuro que na verdade, holocausto não purificavam pecados nenhum (Hebreus 10:8).

Pagando os Karmas

Obras de Jesus na Caridade como exemplo a todo cristão

Assim o batismo nas águas e como apenas um ritual, torna-se apenas um caminho para a verdadeira manifestação da fé, para a remissão dos pecados nas obras para a salvação. Ou melhor, o batismo em si, não purifica ninguém, como um rito mágico, se esse alguém não dar frutos ou se melhorar.

Todas as lições dos evangelhos são exemplificadas atitudes fraternas de amor e caridade ao próximo, justiça e verdade. Jesus deixou em seu exemplo ao mundo e para todos aqueles que querem serem seus fiéis seguidores.

“E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações,” (Apocalipse 2:26)

Os pecados podem acumulassem ao ser (Apocalipse 18:5), que da mesma forma ao fazer o bem, a justiça e a caridade em qual forma for, acabamos a subtrair os erros do passado. (Tiago 5:20).

Desta forma, a chave para a salvação do homem está em suas mãos pela escolha de seu aperfeiçoamento moral, dia a dia no exercício do bem por sua fé interna.

Se todo o pecado fosse nos perdoado somente por tal batismo ao pé da letra, para o rótulo da fé cristã, sem a necessidade de produzir obras, Jesus não teria ensinado a incumbência de ressarcimos nossas dívidas com nossos devedores, caso contrário, toda a dívida nos seria cobrada até o último ceitil. (Lucas 12:58,59)

Templos cristãos suntuosos de Mamon

Templo de Salomão da IURD

Obras Materiais da Fé

Resumindo: A fé no bem, as atitudes fraternas, a justiça e os valores internos que muitos trazem até de berço, são independentes do batismo. Afirma que “todos” precisem se batizar como prova da crença em Jesus e Deus(João 6:40), tem sido um mal entendido que muitos tomam ao pé da letra. Jesus acaba com essa tese com a “parábola do judeu e publicano”. (Lucas 18:10-14)

Assim muitas comunidades cristãs se auto-intitularam-se com o tempo as únicas e legítimos detentoras monopólicas da salvação, por seus ritos sistemáticos que gerou os pedágios para o conceito de povo privilegiado, aliado á uma falsa fé, que com a desculpa da obras exteriores de devoção, milhares na tentativa de comprarem a salvação, ajudam cegamente a ambição desmedida de muitos falsos mestres, com “falsas obras”, como na construção de templos suntuosos, onde pensam único e exclusivamente agradarem ao Senhor.

É a lei da oferta e procura; onde tais religiões abocanham um número considerável alto de fiéis, pois a maioria que sempre está cega (Mateus 7:13), por egos e pela maldade interna em comprar a justiça divina, assim a divindade permite que caiam nas mãos dos falsos profetas, perdendo seus tempos preciosos com obras e crenças infrutíferas (2 Tessalonicenses 2:11).

Somente no Brasil, milhares foram erguidos em diferente cidades, más em nada se mudou a situação catastrófica da violência urbana, desigualdade e pobreza humana, pelo contrário, tem aumentado mais ainda, provando que a missão que era destinada á um tipo de igreja pura se perdeu as tempos.

O evangelho da renúncia em favor dos pobres e miseráveis foi deixado de lado, para acolher o evangelho da barganha, onde se dá com vistas a retribuição, pelas doutrinas das prosperidades e dos interesses materialistas.

Como se Deus, criador e dono de todo o universo necessita-se de dinheiro e poder e bajulações.

Más o que importa é a tal salvação fácil, inebriada pelos shows teatrais psicológicos de curas, que atraem milhares de almas inocentes que buscam nestes meios a salvação de suas carnes, esquecendo que um dia a morte os visitarão e o verdadeiro evangelho é para a salvação da alma, independente do estado em que está o corpo é claro.

Autor: Valter J.Amorim


Postagens Relacionadas:

Um outro evangelho, o de Martinho Lutero

O Dogma do Sacrifício Perfeito pelo Sangue de Jesus é mesmo VERDADEIRO ?

Fé e Obras são as Regras do Evangelhos ?

O Dogma do Batismo e a Reencarnação

A Teologia da Prosperidade pelas Obras da Lei (Maldição)

Tags:  Batismo

Leave a reply