AfrikaansArabicChinese (Traditional)DutchEnglishFrenchGermanHebrewHindiItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanishTurkish

A carta do profeta Elias ou uma psicografia dos tempos bíblicos ?

Carta profeta Elias

A carta do profeta Elias

A carta do profeta Elías, enviada ao rei Jeorão, é uma das maiores curiosidades da história, dos trechos bíblicos, pois fora enviada depois do seu suposto arrebatamento aos céus.

Esse tema já foi comentado por mim em outra postagem no que completava um outra visão sobre o dogma do “arrebatamento de corpos ao paraíso”, tão pregado pelas religiões protestantes hoje em dia.

Como no que se refere a diversidade das interpretações bíblicas em relação á um tema e suas observações e suas conclusões possíveis, o arrebatamento do profeta Elias, também nos deixa de encontro com várias as suposições, e é o que comentarei aqui, em comunhão com a fidelidade aos dons espirituais, tão vistos ainda de forma leiga no mundo cristão.

O Arrebatamento de Enoch

Como já provei em outra postagem: “corpos físicos são arrebatados para lugares físicos e corpos espirituais, para lugares espirituais ou físicos como no caso da encarnação.”

Segundo a crença vulgar, Enoch foi arrebatado aos céus, não passando pela morte física e viveria até hoje com Deus. Mais Paulo afirmava que o profeta havia morrido na terra. Possivelmente a fonte de Paulo foi o Livro de JASA, considerado um livro apócrifo pelos judeus.

A opção lógica e real é que Enoch sendo perseguido pelos inimigos de Deus, foi translado para outra região da terra, para completar seu trabalho, que possivelmente era pregar a palavra de Deus antes do diluvio.

O Arrebatamento de Elias

Profeta Elias e tanslado carruagem fogo

Na época do arrebatamento do profeta Elias, reinava em Judá o rei Josafá por volta dos anos 850 antes do Cristo (2 Reis 1. 17).

E praticamente 10 anos depois de seu arrebatamento aos céus, foi enviada uma carta escrita de seu próprio punho para o sucessor de Josafá, nessa época Jeorão (2 Reis 8. 16), criticando a corrupção moral de seu governo e prevendo os futuros flagelos que cairiam sobre o povo (2 Crônicas 21. 12).

Elias sendo um profeta muito próximo de Deus, talvez pode ter sido arrebatado para outra região da terra, sob o mesmo pretexto que Enoch, e sua a carta ao rei, deixa o mundo da religião cristã em extrema confusão.

Mais outros fatores aqui devem ser deixados em evidências e é nelas que vamos agora procurara descodificar toda esta história.

A morte do Profeta Elias

Ascensão do Profeta Elias

A primeira suposição é o da morte de Elías, e que por motivos importantes foram ocultos por Eliseu. Simplesmente porque a religião judaica em si pelas Leis Mosaicas, proibia este tipo de comunicação !

Lembremos o episódio da transfiguração já no futuro vivenciado por Jesus, onde ele no quadro recebe a vista dos espíritos de Elías e Moisés. Após o testemunho na visão, Pedro recebe a ordem do mestre sobre o fato, que não conta-se nada a ninguém sobre aquele acontecimento (Marcos 9:9).

– Oras se já sabemos como foi difícil pregar as novas idéias dentro das terras de Israel até mesmo depois da morte de Jesus, pelo antagonismo religioso, imaginem se aquela classe sacerdotal soubesse que ele também interagia como os espíritos dos falecidos?

O fator que nos deixa esta suposição da morte de Elias, está no termo literal e simbólico utilizado no livro de 2 Reis :

“O espírito de Elias repousa sobre Eliseu. E vieram-lhe ao encontro, e se prostraram diante dele em terra.” (2 Reis 2:15)

– Lembremos que a bíblia sempre usou o termo dormir para designar a morte(desencarne) de um personagem.

Incorporações de espíritos na bíblia

Mais o termo “repousar”, geralmente foi usado para designar uma palavra ao qual modernamente chamamos hoje de “incorporações”.

Vamos ver:

“Então o Senhor desceu na nuvem, e lhe falou; e, tirando do espírito, que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos; e aconteceu que, quando o espírito repousou sobre eles, profetizaram; mas depois nunca mais.” (Números 11:25)

“Porém no arraial ficaram dois homens; o nome de um era Eldade, e do outro Medade; e repousou sobre eles o espírito (porquanto estavam entre os inscritos, ainda que não saíram à tenda), e profetizavam no arraial.” (Números 11:26)

“E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.”(Atos 2:3)

– Não há dúvida, que estamos diante de uma fato normal levando se em conta os dons espirituais (mediúnicos), tão comum nos primeiros dias da igreja, e que seria segundo esta nova era de novos conhecimentos sob a hedge dos cristãos a crença comum pelo principio da “imortalidade da alma”, tão pregada por Jesus.

A Projeção da consciência

Arrebatamento de sentidos ou desdobramento espírito.

“E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos.” (Atos 16:9)

– Após o sono do corpo, o espírito do homem desprende-se da matéria(carne), pode entrar em comunicação com outros espíritos, que estão em vigília, assim como com aqueles que já desencarnaram, assim define o Livro dos Espíritos de Allan Kardec, na questão 402.

Kardec — Como podemos julgar da liberdade do Espírito durante o sono?

Os Espíritos — Pelos sonhos. Sabei que, quando o corpo repousa, o Espírito dispõe de mais faculdades que no estado de vigília. Tem a lembrança do passado e, às vezes, a previsão do futuro; adquire mais poder e pode entrar em comunicação com os outros espíritos, seja deste mundo, seja de outro…

O termo médium é do grego e significa intermediário. O espirito é que atua no médium que por sua vez é apenas um instrumento, dependente do tipo de sensibilidade dele, assim como existem alguns que são só influenciados ou pela (A)audição, ou pela (B)visão, ou pela (C) clarividência, que é o caso dos profetas.

Desta mesma forma o espirito de um vivo, desdobrado durante o sono, pode atuar em um médium, não somente pelo fator da incorporação, mais também pela psicografia e outros mais.

Estando Elías numa região distante, pode ter sim, atuado em Eliseu através da psicografia, pelo desdobramento de seu espírito.

Portanto nada de equivoco na ordem cronológica ou em possíveis erros dos copistas como muitos podem até sugerir nas escrituras, quando se amplia as possibilidades principalmente levando em consideração o conhecimento e estudo das verdade eternas em comunhão da lógica e da razão, como é característico do estudo do espiritismo cristão kardeciano, que pode nos fazer compreender certos fenômenos sempre mal resolvidos pela ignorância e pelas superstições.


Obs: Desdobramento astral no (esoterismo) Projeção da consciência no (espiritismo) Arrebatamento de sentidos ou de espírito nos (evangelhos) .

Autor : Valter J. Amorim


(A) Audição: o médium que ouve uma voz clara e nítida nos seus ouvidos e dessa forma recebe as mensagens. Na audição, devemos ter o mesmo cuidado que temos na intuição, no que diz respeito à identificação de quem está dando a mensagem.

(B)Vidência: é o tipo de mediunidade que permite, àquele que a possui desenvolvida, ver as entidades, as irradiações. Pode ser de três tipos: Direta, Intuitiva e Focalizada.

(C)Clarividência: é o tipo de mediunidade que permite ver fatos que ocorreram no passado e que ocorrerão no futuro. Os clarividentes podem ver os corpos astral e mental de outras pessoas, e tomar conhecimento da vida em outros planos espirituais. É um tipo de mediunidade difícil de ser encontrado.

Material completo : http://www.oconsolador.com.br/19/esde.html


Postagens Relacionadas :

O Mito do Arrebatamento de Corpos ao Paraíso

Os Sete Céus dos Cristãos e o Rumo á Ascensão

A Bíblia e a Vida Após a Morte – Como Negar as Evidências ?

Você Sabia que a Ressurreição dos Mortos do Último Dia já Ocorreu !

Leave a reply